Aos Mortos

Aos mortos, para os mortos, para os vivos que precisam de morrer, para os que ainda não perceberam que se morre em vida para aquilo que não nos acrescenta nada… Vivemos com a morte de frente nos últimos tempos, e temos tanto que aprender com ela e de como viver com ela!

Primeiro que tudo obrigado aos mortos, aos mortos COVID-19 e aos mortos comuns que sempre cá estiveram e não foram valorizados, cada um dos que têm partido nos últimos tempos, está a ir para nos despertar, num gesto de amor incalculável, estão a dar a vida por nós, para renascermos, para morrermos para os velhos pressupostos, para os velhos costumes, para os velhos eus.

Eles são os despertadores da nova era que vivemos, mas cada um de nós pode abrir finalmente os olhos e pensar, é isto que vim aqui fazer, é isto que é suposto eu ser, estou a ser realmente aquilo que acredito, ou estou apenas a ir na corrente. A julgar, a odiar, a sofrer, a cuidar de todos menos de mim, a ser egoísta ou a ser sugado por todos, a incitar à maldade, a ser bom demais para aqueles que me maltratam.

Vivemos a era do AMOR, amar começa em ti e estende-se aos outros, se não te amares e respeitares não vais conseguir ser veículo de amor! Por isso ama-te, deixa os fantasmas para trás, os medos, as inseguranças e ama-te, vais ver que depois o amor vem e vai como nunca o sentiste antes…

A ti que choras a perda de alguém, lembra-te eles são o nosso despertar, estão a dar a vida por ti, por nós! E não penses que eles estão tristes por não terem funeral, por não terem um velório cheio de gente, um toque na face ou um beijo. Eles estão num sítio muito mais lindo, um sítio onde nada disso importa, aquele corpo que queres ver e tocar, é apenas isso um corpo, sem vida, sem alma.

A alma essa foi libertada e está ao teu lado, embora que penses que aquele corpo é mais importante, acredita não é… A alma está contigo, está a abraçar-te por todos aqueles que não podem, está a sussurrar-te “Amo-te e estou aqui contigo nunca mais estarás sozinho”, permite-te ouvir e sentir.

Permite-te morrer em vida para os valores, os pressupostos e as suposições do passado, para tudo aquilo que não te acrescenta nada e apenas te faz mal. No entanto, aproveita cada um dessas coisas como adubo para o teu florescer no AMOR.

Fotografia de Siim Lukka no Unsplash

Tudo isto é possível no AMOR, desperta!

Lê também: A Morte

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s