Parar

Eramos nós a geração sem tempo, cheios de projetos e objetivos impossíveis de cumprir por falta de tempo! Agora chegou o Corona parou-nos e não queremos estar parados, muitos esquecemos aqueles projetos, aqueles sonhos que tínhamos deixado na gaveta.

As redes sociais estão cheias de iniciativas, muitas delas boas, mas temos que saber escolher e filtrar, não podemos querer tudo. Esta situação pede-nos para parar, observar e corrigir, se enchemos a nossa cabeça com os milhares de coisas, com que estamos a ser bombardeados ultimamente, não estaremos a aproveitar este tempo com sabedoria.

Contra mim falo, que ao início também queria estar em todas, mas agora decidi parar e ver o que realmente me interessa, e ter o meu tempo de reflexão e autoconhecimento, sem estar a pensar no direto que quero ver ou nas aulas grátis que quero assistir.

Devemos aproveitar este tempo para nos cultivarmos de nós e também de novas aprendizagens, mas tem que existir um equilíbrio, devemos analisar o que realmente nos importa o que está dento do nosso alinhamento!

Parar e estar dentro de casa não é estar preso, é estar vivo, é estar presente e é estar seguro. Permitam-se descobrir a vossa casa, a de quatro paredes e a que carrega a vossa alma! Tirem momentos do vosso dia para estar presentes, alertas e ligados ao que realmente importa.

Eu gosto de ouvir as notícias, mas não repetidamente, isso pode tirar-nos do nosso equilíbrio. O que gosto de fazer por vezes é parar e pensar no porque de tudo isto, no porque de existirem corpos tão diferentes uns dos outros e responderem de maneiras tão distintas, no porque de tantos estarem a morrer.

Existem resposta científicas, mas existe uma resposta chamada de destino, teria que ser assim para humanidade evoluir, teriam que haver almas a mostrar-nos a importância desta evolução. Nós humanidade estamos todos ligados desta vez, e a lutar e evoluir no mesmo sentido, algo que talvez nunca tenha acontecido antes!

Desafio-vos a parar, a seguirem apenas o que está ligado a vossa essência, pode ser difícil, mas eu própria estou a tentar seguir esse mesmo desafio. Vamos estar presentes no mais importante para nós e para os que nos rodeiam, tenhamos o nosso tempo de auto-descoberta e de descoberta de uma humanidade em profunda necessidade de mudança.

Parar é necessário para prosseguir, evoluir e no final estarmos todos juntos e mais sábios, daquela sabedoria que não vem apenas em livros!


Lê também: Coronavírus

Desafio da Fragilidade

Somos tão frágeis e vivemos como se fossemos de ferro, mas até o ferro se amolga e enferruja! Aceitar a nossa fragilidade humana é talvez um dos grandes passos da humanidade, e um dos caminhos para muitos entendimentos…

Todos temos medos, todos choramos, todos erramos, todos sofremos, mas todos temos a capacidade de ultrapassar as situações más… No entanto vivemos num mundo, onde ser importante e superior é que conta, não ligamos ao sofrimento dos outros, ao que pode estar a passar, apenas julgamos e subjugamos os “mais fracos”… Esquecendo-nos que também o somos, e talvez se nos ajudássemos era tudo mais fácil!

As pirâmides que construímos são mais difíceis de escalar, quando pedimos igualdade! Temos que perceber que não somos nada sem aqueles que nos rodeiam, que temos o poder de ajudar, de amar e de erguer o outro e não de o destruir…

Ser frágil é humano, alimentar ódios e guerras, só por lucros e poderes só nos destrói! Um dos grandes despertares para este tema da fragilidade humana é o nosso planeta, todos os eventos extremos, mostram que não mandamos em nada, que não são precisas bombas e guerras para haver destruição, que basta um sopro ou um erro para terminar muita coisa.

Evoluir

Por isso em 2020 deixo-vos um desafio, olhem a vossa volta, contemplem e aceitem essa fragilidade! Estejam atentos aos outros, ás suas necessidades, aos seus pedidos de ajuda… Todos unidos somos mais fortes, porque o amor é o caminho e só o podemos seguir se aceitarmos a igualdade que nos une!